yara-tupynambaA artista Yara Tupynambá foi um dos grandes destaques da agenda de 2016 da galeria de arte Errol Flynn, em Belo Horizonte/MG. Tupynambá foi o tema de uma exposição individual que chamou à galeria muitos apaixonados pela arte e pela pintura nos meses de setembro e outubro desse ano.

Nascida em 1932, Yara Tupynambá é uma das mais renomadas e celebradas pintoras do Brasil. Nascida em Montes Claros/MG, ela se formou em Artes Plásticas e chegou a estudar em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América. Com sua projeção nacional e até internacional, rapidamente se tornou num dos nomes mais importantes também em seu próprio estado; foi assim diretora da escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, tendo dado aulas também na renomada Escola Guignard, também na capital Mineira.

Sua lista de prêmios é bem extensa e inclui, entre outros:

  • I Prêmio Gravura Salão de Belo Horizonte
  • I Prêmio de Gravura no II Salão de Trabalho, São Paulo
  • Prêmio Especial Paschoal Carlos Magno no Salão do Pequeno Quadro, Rio de Janeiro

Yara é, entre muitas outras coisas, um símbolo de Minas Gerais, e não será por acaso que, mesmo sem ter um título de “pintora oficial”, ela vem já acumulando a honra de ser selecionada por entidades oficiais, como a Secretaria da Cultura, o Palácio das Artes ou a CEMIG para representar a arte Mineira.

Como todos os grandes artistas, Yara não se livrou da polêmica. Seu famoso painel Árvore da Vida, na igreja matriz de Sant’Ana, em Ferros/MG, recebeu fortes críticas de setores mais conservadores, e o próprio Vaticano nomeou uma delegação para determinar se as imagens mostrando a genitália de Adão feriam a decência pública. Porém, passadas quatro décadas, a imagem que fica é a de uma notável composição religiosa ilustrando a Criação, o Calvário e outras cenas importantes do Evangelho cristão.

Em 1987, a artista fundou o Instituto Yara Tupynambá, que vem se dedicando à promoção das artes plástica e da cultura.